sábado, 28 de fevereiro de 2009

Síndrome do ninho vazio...


Quando os filhos vão embora...

Tenho sido abordada, ultimamente, por amigos, vizinhos e pessoas de nossa família que levaram os filhos para estudar fora...
_Olha, fulana foi estudar em tal cidade, agora, estamos sozinhos...Volto no tempo, quando a Lívia foi fazer pré vestibular, no Anglo, em Campos dos Goytacazes/RJ, e ficamos de mãos vazias...
De repente, coloquei em minha cabeça, que ela tinha saído de casa para o bem dela...que se não saísse, não cresceria, ficaria "agarrada à barra da saia" dos pais...Logo depois, foram os meninos, primeiro o Bernardo e depois o Rafael. Moram juntos, estudam juntos e formam uma nova família em um novo lar, preparado especialmente para eles. Cozinham, lavam a roupa, fazem compras...estão crescendo!!! Já pensam em Mestrado, TCC. Estão passando por tudo o que a nossa geração passou e nós temos os mesmos problemas que os nossos pais, no século passado quando saímos de casa...hoje, em um minuto falamos pelo celular com nossos filhos, não precisamos nos estressar.
Confesso que dói muito! O que dói mais? a dúvida ou a certeza de que eles cresceram, estão construindo suas próprias vidas e vão voar por aí...
Quem não sai de casa, não cresce. É preciso aceitar as mudanças e mudar também...se reinventar, dar uma nova significação à vida, reescrever a nossa própria história, ousar, rir e amar, amar muito, sempre!!!

3 comentários:

Claudia Cardoso disse...

é, amiga....
daqui há pouco sou eu....snifff
sniff nada, q bom,né?
adorei...vou linkar...bjsssssssss

Tays disse...

Ai Clau, li isso e já imaginei o Leo grandão dizendo, tchau mãe, tô indo, ai que aperto... mas é assim né? Eles criam asinhas e voam para longe de nós, assim como eu voei para longe dos meus. Como você disse, hoje ainda estamos mais próximos, a tecnologia é um bem maravilhoso, que encurta distâncias. Inclusive tá vendo eu aí na sua mesa? Tomando suquinho de acerola.... Beijos amiga.

Juliana disse...

Ai Tia Cláudia, mas você pode ter certeza de que eles, por mais enlouquecidos que estejam com a idéia de sair da barra dos pais, no fundo, beeeeeem no fundo dá um desepero neles... Eu falo por mim... Casei, saí de casa, e choro semanalmente, a falta da minha mãe, do meu irmão, do meu pai e do smeus paism postiços... E olha que elas moram na mesma cidade. Que nostalgia que dá...